sexta-feira, 21 de maio de 2010

Taça Maria Quitéria 97

Olá leitores.

Como isto aqui anda meio devagar das pernas por conta de acidentes que os nossos colegas sofreram (Corrêa está numa clínica de reabilitação para alcoólatras e Drakkar está sendo submetido a sessões de tortura psíquica). Então por maioria de votos e falta de voluntários fui designado à árdua tarefa de atualizar esta bagaça.

Então, já que o nosso público-alvo é tão culto e preza pelo valores morais, hoje discutiremos um pouco de Schopenhauer (ÊÊÊÊ!!!).

Mas como você acabou de logar do Tibia ou similares e está se perguntando quem é esse elemento (não, não é um novo boss) por concesso dos integrantes, postaremos aqui uma pequena biografia desse grande filósofo do Idealismo.

Você que manja muito do assunto (ma che?! como veio parar aqui?!) e infelizmente (para você) tem uma baixa auto-estima e quer humilhar aqueles que não manjam, ou são amadores no assunto, por favor, olhe para si e envergonhe-se enquanto é tempo.

Isto é apenas uma tentativa de expor à comunidade Mathingueira um pouco de cultura antagônica ou pelo menos diferente à que estão habituados. Não queremos transformar alguém em mestre em Filosofia. Apenas é um estímulo a um instinto primitivo que possuímos e que nos separa do resto dos animais: Analisar, Pensar e Concluir.

Como prometido... A biografia...

Arthur Schopenhauer (Danzig, 22 de Fevereiro 1788Frankfurt, 21 de Setembro 1860) foi um filósofo alemão do século XIX da corrente irracionalista. Sua obra principal é O mundo como vontade e representação (1819), embora o seu livro Parerga e Paralipomena (1851) seja o mais conhecido. Schopenhauer foi o filósofo que introduziu o Budismo e o pensamento indiano na metafísica alemã. Ficou conhecido por seu pessimismo e entendia o Budismo como uma confirmação dessa visão. Schopenhauer também combateu fortemente a filosofia hegeliana e influenciou fortemente o pensamento de Friedrich Nietzsche.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Arthur_Schopenhauer

Capisce?

Aguardem novos posts à respeito das discussões. Lembrando que esta série depende da recepção de vossas senhorias... Caso isto tudo soe babaca ou inútil demais, grite; mas grite por email, ficaremos felizes (o Corrêa) de ler.

Pyro