quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Dragon Age: Origins - Review by Drakkar

(Clique nas imagens para ampliá-las)

E após um bom tempo sem publicar análises de jogos, volto aqui com o vencedor dos prêmios de melhor jogo de PC e melhor RPG de 2009 (foi pelo motivo dele ser muito bem conceituado pela crítica que resolvi testá-lo).

Dados Técnicos:
Lançamento: 6 de Novembro de 2009
Requisitos Mínimos
Processador: Intel Core 2 Duo 2.4 GHz ou equivalente, AMD Phenom II X2 Dual-Core 2.7 GHz ou superior
Memória: 2 GBs (XP)/ 3 GBs (Vista)
Placa de vídeo: ATI 3850 512 MBs ou maior, NVIDIA 8800GTS 512 MBs ou melhor
Espaço Livre em Disco: 15 GBs (20 para eventuais expansões e addons)

História: 9,5
Esse jogo, como disseram os próprios criadores, é uma história alternativa fortemente baseada na mitologia de Baldur's Gate, que por sua vez é baseado em Dungeons & Dragons, que por sua vez é baseado no universo de J.R.R.Tolkien. Por esse motivo, há mais referência do que originalidade. Mas isso não tira o valor do jogo, que por sua vez faz o jogador se sentir imerso em seu universo, desde a criação de personagens totalmente customizados até decisões que mudam o rumo do jogo. Diferentemente dos outros jogos da Bioware, não há certo e errado ou bem e mal: há apenas a influência que o personagem principal causa em seus aliados; para tornar mais interessante, cada um deles tem uma filosofia de vida, e têm conceitos totalmente diferentes do que é certo e do que é errado.
O mais impressionante no jogo é o detalhe: é aquele típico RPG medieval, com história e personagens complexos.

Gráficos: 8,5
Para um RPG, é extremamente bem feito e detalhado, com efeitos luminosos e faces bem elaboradas, além de animações realistas.

Jogabilidade: 10,0
Tem todos os comandos clássicos de jogos como Baldur's Gate e Knights of the Old Republic, além de inovações, como controlar como a inteligência artificial dos outros personagens deve se comportar detalhadamente. O jogo salva automaticamente em pontos críticos e tem a opção de salvar com um simples comando no teclado. Há opções para todo tipo de jogador.



Replay: 10,0
O jogo, por seu imenso tamanho e complexidade, tem vários finais possíveis, e vários caminhos e quests que são específicos para certos tipos de personagens. Isso se deve pela vasta gama de opções de criação de personagens; de raça (anão, elfo, humano), tipo (nobre, plebeu) e profissão (mago, guerreiro, arqueiro). As opções são tantas que é possível terminar o jogo sem ter feito nem metade das quests possíveis.

Música: 10,0
Como sempre, a Bioware nesse quesito não peca, e além da qualidade da trilha sonora, há uma variedade tão grande de músicas que algumas são usadas apenas em certos trechos ou lugares específicos da história.

Bugs/erros: 9,0
O jogo fechou (CTD) em apenas algumas partes em toda sua enorme extensão, cuja média é de 60 horas. Apesar disso, não deixam de existir pequenos bugs, a maioria deles já corrigida por patchs da Bioware.

Média Geral: 9,5
O RPG de 2009, de fato. Num universo já amplamente explorado mas ainda com muitas aventuras a oferecer, esse é o início de uma nova franquia que, se continuar com este sucesso, ficará marcada para os jogadores, mesmo numa época de sucessos momentâneos como essa.

Dragon Age: Origins - Awakening
Já está marcada a data da expansão deste novo RPG ( lançado apenas no fim de 2009) : 16 de março deste ano.