segunda-feira, 15 de junho de 2009

Filme - Tempo de Violência

Eu, Drakkar, preferiria não postar sobre filmes, pois não há filme que seja considerado bom unanimamente, mas.... nesse caso, tenho que discutir sobre um que achei um tanto interessante e espero que vocês leitores assistam e mandem suas opiniões sobre ele.

Tempo de Violência

Já é um tanto velho, Tempo de Violência (Pulp Fiction), é de 1994 e mostra um John Travolta ainda com o embalo de sábado a noite (entendam o trocadilho numa das cenas do filme), um Bruce Willis, como sempre, roubando a cena, e a atuação que pode ser interpretada de mais maneiras e a mais interessante é a de Samuel L. Jackson, que interpreta, juntamente com John Travolta, um dos dois assassinos profissionais do filme e que mata suas vítimas de um jeito um tanto peculiar.

A história é simples e complicada: não segue uma única linha do tempo, mostrando um ou dois personagens por vez e seus pontos de vista. John Travolta e Samuel L. Jackson interpretam Vincent Vega e Jules Winnfield, dois assassinos contratados por Marsellus, gângster, para diversos trabalhos. Bruce Willis é Butch Coolidge, pugilista que foi pago por Marsellus para perder uma luta e este ganhar apostas, mas a ganhou e agora foge dele. Por fim, Uma Thurman (de Kill Bill, pra quem não lembra) faz Mia Wallace, esposa de Marsellus, atriz fracassada e drogada. Estes são os personagens principais; há outros também importantes, mas que não aparecem tanto.

Como se nota, nenhum dos personagens tem uma vida fácil, para o filme passar a imagem desejada: a de um filme pessimista, que prevê nada mais do que um futuro onde as pessoas não têm ideais e honestidade. No filme também há uma maleta, que aparece diversas vezes e representa o desejo material e a corrupção que atinge aqueles que a desejam.

Se você se interessou pelo filme e deseja descobrir mais sobre o mesmo assistindo-o, pare de ler este post por aqui!

SPOILERS

A narração se divide em três partes, além do prólogo e do epílogo. O prólogo mostra um casal de assaltantes numa lanchonete planejando um assalto a ela. Ainda no prólogo, Vincent e Jules discutem sobre banalidades enquanto pegam uma maleta importante e se preparam para um assassinato, que é cometido dramaticamente após Jules humilhar o homem que devia dinheiro ao Marsellus e executá-lo após recitar um trecho da Bíblia que ele decorou, e falava antes de matar suas vítimas.

Na primeira parte do filme, Vincent Vega precisa cuidar da esposa de Marsellus, Mia, enquanto este não está. Eles vão jantar em um restaurante cujo tema é a década de 50. É neste trecho que ocorre a famosa cena de dança de John Travolta com Uma Thurman, a mais famosa do filme, apesar de apenas durar dois minutos. Após o jantar, Mia se droga com heroína pensando ser cocaína e tem uma overdose, sendo salva por Vincent após momentos de tensão.

Na segunda parte do filme, a que cronologicamente ocorre por último, Butch vence a luta que foi pago para perder, matando o oponente espancado, e foge com sua namorada para um hotel pretendendo sumir logo após sair dali. Descobre, porém, que o relógio inestimável que o pai lhe dera na guerra foi esquecido no seu apartamento, e volta lá, desarmado e sabendo que muito provavelmente já estariam atrás dele. Ele acha o relógio e, no seu apartamento, mata Vincent com sua própria arma, antes de fugir de volta pelas ruas. Nestas, ele se encontra com Marsellus, e os dois saem num tiroteio desenfreado, antes de serem rendidos e capturados por um vendedor de armas. Este, se descobre, é um estuprador que conta com a ajuda de mais dois homens para levar um Marsellus amarrado para uma outra sala da qual Butch e Marsellus foram originalmente confinados. Butch consegue se soltar e, apesar das desavenças com Marsellus, o salva do estupro deixando um dos cúmplices desacordado e matando o outro, o que faz com que Marsellus pare de o perseguir desde que ele saia da cidade.

A terceira parte do filme reconta o assassinato do prólogo do filme, com mais detalhes e o que aconteceu depois: Vincent atira acidentalmente no sobrevivente do tiroteio do prólogo enquanto Jules dirige o carro onde eles estão, e ambos os assassinos têm que passar por muitas situações constrangedores e arriscadas para se livrar das provas do ocorrido.

O epílogo, por fim, mostra Vincent e um Jules prester a se aposentar (e, portanto, que parou de matar) indo comer justamente na lanchonete que está prestes a ser assaltada pelo casal que aparece na primeira cena do filme. Os assaltantes pedem o dinheiro e pertences de todos os clientes, o que Jules entrega sem resistência. Mas a situação complica quando ele também pede a maleta que Jules deve entregar para seu chefe, como último serviço, e Jules se recusa a entregá-la. Todos sacam suas armas e ficam num impasse, até que Jules oferece 1500 dólares em troca da maleta, e explica o significado do trecho bíblico que decorou: ele nunca nem tentou entender o que significa e só o dizia porque achava legal, antes de cravar a vítima que o ouvia de balas. Mas, enquanto eles estão neste impasse, ele finalmente o interpreta e tenta achar um significado para o trecho. Os assaltantes após muita discussão e quase-tiroteios vão embora sem a maleta, e Jules está decicido a abandonar a vida de assassino e "vagar pelo mundo".

O filme gerou muita repercussão e ainda hoje é usado como base para outros. A narrativa não-linear, um fundo filosófico pessimista e as falas memoráveis de alguns personagens, bem como trechos do filme, transformam este num dos filmes que precisam ser vistos por todos.